http://homoliteratus.com/5-licoes-de-dom-casmurro-para-entender-a-crise/

 

bentinho-650x415

É tradição aqui em casa fazer gingerbreads ao nos aproximarmos do Natal. Além de gostoso, é um momento a mais para compartilhar a cozinha com meus pequenos! Todos curtem demais!

INGREDIENTES

50 g. manteiga sem sal em temperatura ambiente;

100 g. açúcar mascavo;

1 ovo;

100 g. mel;

260 g.  farinha de trigo;

½ colher chá de gengibre em pó;

½ colher chá de noz-moscada;

1 colher chá de canela em pó;

½ colher chá de sal;

½ colher chá de bicarbonato de sódio.

 

Modo de fazer:

Primeiro, bata em velocidade média, o ovo e a manteiga, em seguida, incorpore o mel e depois, aos poucos adicione o açúcar mascavo até a mistura ficar homogênea. Reserve.

Misture as especiarias ao bicarbonato, sal e farinha. Incorpore essa mistura à liquida, misture até ficar homogênea!

Enrole essa mala em filme plástico e deixe descansar na geladeira por 1 hora, até ficar mais firme. Pré-aqueça o forno em 180 graus.

Enfarinhe a bancada antes de abrir a massa. Abra a massa com uma espessura mínima de  0,5 cm, se preferir, pode ser mais altinha também, até 1 cm!

Corte com a massa com um molde e coloque o biscoito sobre a  uma assadeira com papel manteiga (untada com manteiga) ou tapete de silicone.

Leve ao forno por 12 a 15 minutos! Fique de olho! Deixe secar em uma grade.

ginger

Glacê real

1 clara de ovo

200 g de açúcar de confeiteiro

1 colher de chá de essência de baunilha ou suco de limão

Misture tudo bem!

Para ter várias cores, divida esse glacê em 2 ou 3 potinhos e pingue algumas gotas de corante comestível.

Coloque em um saco de confeitar e decore seus biscoitinhos! Deixe secar antes de guardar.

Essa receita rende uns 40 gingerbreads!

 

gingerbread

 

 

 

por , 23 de novembro de 2016 em Entrechos. | Nenhum Comentário »

saramago

http://www.tsf.pt/cultura/interior/pilar-del-rio-e-a-vencedora-do-premio-luso-espanhol-de-arte-e-cultura-2016-5499130.html

por , 26 de outubro de 2016 em Entrechos. | Nenhum Comentário »

Não, é que vivo em eterna mutação, com novas adaptações a meu renovado viver e nunca chego ao fim de cada um dos modos de existir. Vivo de esboços não acabados e vacilantes. Mas equilibro-me como posso, entre mim e eu, entre mim e os homens, entre mim e o Deus.

Clarice Lispector, in: Um sopro de vida.

Fernando Pessoa

por , 14 de outubro de 2016 em Entrechos. | Nenhum Comentário »

e o eterno desassossego.

Bacia de cerejas!

por , 14 de setembro de 2016 em Entrechos. | Nenhum Comentário »

post

 

 

“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas..
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa…
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!”

O VALIOSO TEMPO DOS MADUROS – Ricardo Gondim
Photo: Leonard Freed

Que jamais seja um sofrimento
viciosamente cultivado
para transformar-se em momento
de verso, espúrio intento da arte.

Mas a arte que, a cumprir seu fado,
por força de sonho ou tormento
se volva num momento dado
coisa divina, imensa e à parte…

 

Autor: Cecília Meireles (1901-1964)

 

 

Chico…

por , 9 de julho de 2016 em Entrechos. | Nenhum Comentário »

“Quem inventou a tristeza tenha a fineza de desinventar”.

por , 31 de maio de 2016 em Entrechos. | Nenhum Comentário »

It’s interesting, how is possible to change the color of our dreams.