Centenário de Vinicius de Moraes!

por , 19 de outubro de 2013 em Achados e Garimpos!, Meu cotidiano.

dois queridos

“E assim, quando mais tarde me procure.

Quem sabe a morte, angústia de quem vive.

Quem sabe a solidão, fim de quem ama.

Eu possa me dizer do amor (que tive):

que não seja imortal, posto que é chama.

Mas que seja infinito enquanto dure.”

trecho: Soneto da Fidelidade de Vinicius de Moraes

p.s.: Ontem, demorei para dormir, estava um pouco assim…triste…

Leave a Reply